Psicodália: O que levar e como ser feliz

WAGNEEER!

psicodalia-defenestrando

Foto: Defenestrando

O Psicodália se aproxima. E, conforme os anos se passam, o festival cresce e se consolida como um dos melhores do Brasil, e conforme o valor dos ingressos sobe bastante e os passaportes se esgotam, é bem provável que haja uma boa quantidade de marinheiras e marinheiros de primeira viagem que nunca foram ao Psicodália e/ou que nunca acamparam. Para estes, trago aqui um guia defenestrado de coisas úteis que é bom levar. Não dá para ignorar o FATOR PERRENGUE que um evento como esse carrega, mas estar bem preparado irá te ajudar a lidar com qualquer transtorno e facilitará bastante para que este feriadão de carnaval seja um dos mais legais da sua vida.

***SÓ QUE ATENÇÃO: A organização do Psicodália emitiu um comunicado oficial avisando que o município de Rio Negrinho, no qual o festival será realizado, entrou para a lista dos locais em que se recomenda a vacina contra a Febre Amarela.***

NÃO QUER DIZER QUE, se você for ao festival sem tomar a vacina, você vai ser picado pelo mosquito, contrair a doença e morrer, e já era. Mas, como a Febre Amarela pode evoluir para algo bastante perigoso, é bem recomendável que você tome. A vacina é gratuita nas Unidades de Saúde – procure a mais próxima de sua casa e se informe (aqui tem uma lista de localidades da Saúde de Curitiba). Eis o que diz o site da Prefeitura:

Em Curitiba, a vacina é oferecida em todas as unidades de saúde apenas para quem vai viajar para as áreas com recomendação. Os estoques estão normais. Para turistas que forem a alguma área com recomendação, a orientação é se vacinar pelo menos dez dias antes da viagem. Quem tomou a primeira dose há menos de dez anos não precisa adiantar o reforço.

A vacina demora, em média, dez dias para fazer efeito. Então, se o Psicodália começa no dia 24/02, você deve tomar a vacina até o dia 14/02, uma terça-feira.

Posto tudo isso, segue uma lista de coisas para levar ao Psicodália, em ordem de prioridade e importância para a sua sobrevivência no Melhor Festival De Que Se Tem Notícia. Ao fazer sua mala, considere que tudo ocupa espaço, tanto no carro como dentro da sua barraca, e que você tem uma bela caminhada do estacionamento até os campings. Aliás, esqueça a mala de rodinhas, porque na terra elas não funcionam.


(O post ficou meio longo, mas é que eu fiz vários comentários no meio)

psicodalia-4-defenestrando

Foto: Defenestrando

Coisas completamente importantes

* Vacina contra a febre amarela em dia – Ok, eu já disse isso ali em cima, mas apenas reforçando.
* Ingresso e documentos – Dã.
* Barraca – Se você ainda não tem uma, você pode comprar ou emprestar de alguém:
a) Se for emprestar, não se esqueça de testar a integridade física da barraca ANTES de ir ao Psicodália (que belíssima surpresa seria chegar ao festival e descobrir que ela está rasgada, quebrada ou zoada de qualquer forma). Confira se as hastes e as cordinhas estão em ordem, se o tecido não está rasgado, se todos os specs que servem pra prender a barraca no chão estão inclusos.
b) Se for comprar, vale pesquisar um pouquinho sobre o assunto e não comprar a barraca mais barata do mercado (tem um monte de fóruns de acampamento e montanhismo bem explicativos por aí). Barracas baratas demais podem não aguentar uma chuva mais forte, e aí fica ruim de você ficar com todas as suas coisas molhadas por vários dias. Além disso, com uma barraca melhor, você já garante a sua estadia para os próximos Psicodálias. E também para outros acampamentos legais, como um rolê em Superagüi, sei lá.
*UPDATE*: Ouvi dizer que há quem simplesmente DEIXE A BARRACA lá na fazenda após o festival. NÃO SEJA ESSA PESSOA!
* Papel higiênico – Lá na Fazenda Evaristo tem banheiros que acomodam a demanda, mas não espere que haverá papel higiênico para cinco mil pessoas durante cinco dias de festival. Leve o seu rolo. Ou até dois, se você quiser ser Um Alguém Prevenido.
* Galocha – No caso de cinco dias de chuva, você descobrirá que a galocha é uma das maiores coisas que o ser humano já inventou. Há quem prefira aqueles tênis Timberland mais reforçados… Mas eu sou #teamgalocha. E vou torcer bastante para que você não precise usá-la em nenhum momento.

Coisas importantes

* Saco de dormir/colchão inflável – Acho que a maioria prefere usar ou um ou outro. Eu uso os dois: colchão para deitar, saco de dormir para me cobrir (ocupa bem menos espaço que um cobertor ou edredon).
a) Se for levar colchão inflável, leve uma bomba para enchê-lo.
b) Se for de saco de dormir, um isolante térmico pode te deixar com menos frio de noite.
* Lona – Em caso de chuvas torrenciais, uma lona estendida por cima da barraca vai ajudá-la a segurar a onda. Há quem também coloque uma lona por baixo da barraca, para evitar que a umidade suba pelo chão.
* Fio de sisal – É com esse fio que você vai amarrar a lona nos objetos dos arredores (árvores, arames, cercas, tocos). Também dá pra improvisar com fio de varal ou algo que o valha.
* Lanterna – De noite fica escuro e não há iluminação por toda a fazenda. E estar bem louco não vai te ajudar a encontrar sua barraca magicamente numa multidão de milhares delas. Não se esqueça de checar se sua lanterna está com a bateria carregada ou com pilhas novas.
* Cadeado para fechar a sua barraca – O Psicodália é um lugar super tranquilo e gostoso e o clima é de fraternidade extrema e cumplicidade na alegria. Tem muita gente que deixa a barraca aberta e não acontece nada. Mas é bom evitar os riscos de você perder os seus pertences, não?
* Sabonete, shampoo, escova de dente, pasta de dente, toalha, absorventes – Se não tem nem papel higiênico, o que dirá esses luxos.
* Capa de chuva – Vai que chove. Todos os dias.
* Camisinha – Existe amor no Psicodália.

Foto: Defenestrando

Foto: Defenestrando

Coisas que não são essenciais, mas que podem quebrar um belo galho

* Kit de medicamentos de sobrevivência – Remédio pra dor de cabeça, Engov, antiácido, antigases, essas coisas que você sabe que pode precisar mesmo em condições normais de vida.
* Protetor solar – Vai que faz sol. Todos os dias.
* Repelente – Você vai estar no meio do mato.
* Silver tape – Sua barraca pode rasgar, seu colchão pode furar.
* Cantil ou garrafinha de água – Se você é dos que acordam de noite com sede, vale a pena. Costuma rolar um fornecimento de água maneiríssimo por lá a um preço bem em conta.
* Lariquinhas – Lá, tem uma praça de alimentação 24h. Mas um pacote de bolacha, de batata frita ou de amendoim pode funcionar melhor pra sua fominha das 17h ou das 4h da manhã do que uma pratada de macarrão. Depois, lembre de jogar o lixo no lixo.
* Comida – Se você tá no espírito do acampamento e quiser economizar com a alimentação, tem que levar macarrão, frutas, pão, arroz, fogareiro, panela, prato, talheres e tudo o mais.
* Sacos plásticos para embalar suas roupas – Assim, você impede que elas molhem. Depois, você pode usar os sacos para jogar o seu lixo, para colocar roupas sujas, para empacotar os seus pés (no caso de você esquecer de levar uma galocha).
* Canga – Para ficar sussão no chão.

Foto: Defenestrando

Foto: Defenestrando

Com que roupa / com que roupa eu vou / pro samba que você me convidou

* Camisetas
* Bermudas
* Calça(s)
* Casaco – Pode fazer frio de noite.
* Cuecas, calcinhas, sutiãs, meias
* Tênis
* GALOCHAS

* Sandálias ou chinelos – Para os mais íntimos, chinelas.
* Chapéu, bonéChapé, bonéu.
* Óculos de solÓsculo de sol.
* Óculos de grau em vez de lente de contato – Se você não enxerga direito como eu, recomendo óculos, mesmo. É um porre levantar da barraca de manhã, sair andando por toda a fazenda sem enxergar nada até chegar ao banheiro pra poder lavar a mão antes de botar a lente de contato.
* Uma cordinha pra amarrar seus óculos? – Se você sabe que vai acabar pulando bastante em algum show, pode ser uma boa. No meu primeiro show do meu primeiro Psicodália, meus óculos foram à terra e por pouco não perco eles na multidão dançante.
* Sunga, biquíni, maiô – Ou, então, aproveita pra entrar no laguinho pelado de uma vez.

E DESAPEGA

* Celular e relógio – Celular não pega, esquece. Aproveita pra se desconectar e curtir o clima único do Psicodália – um clima que só existe muito em parte porque ninguém mais está no celular postando nada. Deixa o relógio em casa, também, que não precisa.
* Secador de cabelo – Miga, sua loca, lá não vai ter onde ligar. Você pode até achar uma tomada escondida em algum lugar, mas acho que o trabalho não vale a pena. Lembrando que você já vai estar carregando um monte de coisas e, quanto menos bagagem, melhor.
* Você vai ficar na fila para tomar banho e talvez tome banho gelado; talvez nem tome banho; vai passar dias no mato; vai dormir numa barraca; vai fazer cocô em banheiro seco; vai ficar na fila da cerveja e da comida; vai botar o pé na lama. E tudo isso, de alguma forma, vai ser muito legal no fim.
* Jogue o lixo no lixo – É ridículo ter que dizer isso, mas é sério. Inclusive, jogue o lixo no lixo certo.
* Evite ir muito louco na tirolesa – Ou não. Sua viagem, suas regras.
* TENTE NÃO SER CUZÃO – Lembre dos ensinamentos de Buda e o Psicodália fará o resto por você.
* Mantenha a calma – Se você se perder da sua galera, não se desespere. Respire, passeie com calma, observe todo o universo incrível ao seu redor. Quando for a hora certa, o Psicodália trará seus amigos de volta.
* E o mais importante – WAGNEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEER

Esqueci de alguma coisa? Deixe aí nos comentários. Ou visite a página do Psicodália específica sobre o assunto.

Foto: Defenestrando

Foto: Defenestrando

  1. Becker

    Opa! Curti as dicas! Sou marinheiro de primeira viajem do dália e é sempre bom estar preparado, nem passava pela minha cabeça levar galocha. Hehe Mas eu tenho uma dúvida em relação a grana para a alimentação lá dentro, quanto maios ou menos é bom levar? Desde já, obrigado.

    Curtido por 1 pessoa

    • Felipe Gollnick

      Valeu, Becker! Acho que depende bastante de quanto você come e quanta cerveja você bebe. Considerando os valores da última edição que fui (2015), acho que você pode pensar em 100 reais por dia. Com esse valor, A PRINCÍPIO você consegue tomar entre uns 5 e 7 chopes por dia, e comer um prato de macarrão e um hamburguer. Mas fique ligado no site do festival porque, a poucos dias do início, eles costumam divulgar a lista de preços de todos os produtos que estarão à venda. Aí você consegue pensar num orçamento mais adequado conforme a sua sede e a sua fome.

      Curtir

    • Tai

      Isso vai depender do que você vai levar… Eu normalmente levo comida pra fazer o meu almoço de todos os dias (macarrão, pure de batata, risoto [comidas que é só jogar agua e ferver e ta pronto]), porque um almoço reforçado depois de uma noite doida é sempre importante, ai durante a noite eu como alguma coisa da praça de alimentação (macarrão, pizza, salgados). Outra coisa que conta muito é a bebida! Destilados a galera normalmente leva, mas cerveja nem sempre, pelo peso. Se você decidir que tem uma grana, vale a pena comprar suas beras lá, porque não precisa ficar carregando e nem comprando gelo, mas se você quiser economizar (como eu), leva umas caixinhas pelo menos e compra lá só as mais necessárias na hora da loucura hahahahaha Então bem, eu fazendo meu almoço, levando umas bolachinhas e minhas berinhas, eu gasto uns 200 reais em dalias! O primeiro ano que eu fui comprei bastante coisa lá, não levei cerveja e gastei uns 400 na brincadeira!

      Curtido por 1 pessoa

  2. Pingback: Entrevista – Céu: “Kraftwerk é uma referência enorme para mim” | Pista 1
  3. Pingback: Off to Psicodália! | Defenestrando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s