“Rekòmanse”: Livro e exposição mostra o recomeço dos haitianos no Brasil

Foto: Brunno Covello

Foto: Brunno Covello

O fotógrafo curitibano Brunno Covello prepara o lançamento de Rekòmanse – Outras faces, outras histórias, livro fotográfico que registra a trajetória do povo haitiano em busca de um recomeço, seja em Curitiba (onde, estima-se, vivem cerca de oito mil haitianos) ou em sua terra natal. O evento de lançamento do livro acontece na próxima terça-feira, 21/02, no Museu da Fotografia, ali no Solar do Barão, na Rua Presidente Carlos Cavalcanti. O serviço completo está no final deste post.

Rekòmanse é um projeto que levou mais de três anos para ser concluído. Covello começou esse mergulho em 2014, quando ainda era fotógrafo da Gazeta do Povo e começou a fazer reportagens sobre questões de imigração e direitos humanos. “No geral, essas pautas eram bem densas e tratavam de situações de preconceito e xenofobia contra os imigrantes haitianos”, contou ele ao Defenestrando.

“E isso começou a me incomodar um pouco. Não tanto pelos assuntos em si, mas parecia que a gente estava focando apenas nos problemas e nas dificuldades dos caras. E eu comecei a pensar em fazer algo que fosse além disso: não deixar de mostrar os problemas, mas mostrar também as outras histórias e faces da imigração haitiana aqui”, disse.

A partir daí, Brunno iniciou um processo de imersão. Visitou festas promovidas pelos haitianos, fotografou casamentos, eventos e situações cotidianas, como o trabalho e a religião. Depois de algum tempo, o projeto ganhou corpo e foi selecionado para o mecenato subsidiado de Curitiba. Com o dinheiro do incentivo, pôde fazer o caminho inverso ao dos seus fotografados e viajou ao Haiti.

Foto: Brunno Covello

Foto: Brunno Covello

“Eu queria fazer um contraponto: tentar mostrar, visualmente, os motivos deles estarem vindo pra cá. Mas também queria mostrar um pouco da cultura, e fugir só do foco na miséria. Fui para a capital Porto Príncipe, mas também fui para o interior e para as praias, que são lindas. Quis fazer um retrato mais amplo: não nego a miséria que o país enfrenta, mas eu tentei tratar de outros Haitis, também”, explicou o fotógrafo, que chegou a ter aulas do idioma crioulo para ajudar no contato com a população local.

Pedi ao Brunno que descrevesse como é o povo com o qual ele conviveu ao longo desses três anos:

É um povo com um coração enorme. Além disso, é um povo muito colorido. Na época que comecei esse trabalho, eu estava adorando fotografar e publicar em preto-e-branco; para esse projeto, eu nem tinha como pensar em fotografar assim, porque são pessoas que se vestem com muita alegria. A dança e a cultura são características muito fortes. Lá no Haiti eu vi um povo muito religioso, muito ligado à fé, ao futebol – e isso faz com que eles tenham uma conexão muito grande com o Brasil.

É um povo que ocupa as ruas. Tanto lá como aqui, eles estão sempre nas praças, caminhando pelas ruas, ocupando os lugares públicos. E, ao mesmo tempo, são muito orgulhosos de sua cultura e de sua história. Se você conversar com um haitiano, ele sabe de todos os problemas que o país enfrenta, da exploração que sofreram com a colonização francesa, e, ao mesmo tempo, ele tem um orgulho fortíssimo de seu passado e de suas conquistas. Conversar com um haitiano é sempre um grande aprendizado.

Foto: Brunno Covello

Foto: Brunno Covello

O livro Rekòmanse está dividido em três capítulos: no primeiro, estão as fotos e retratos realizados por Brunno aqui no Brasil; no segundo (o único em preto-e-branco), Brunno visita famílias de haitianos que vieram ao Brasil e entrega, a quem ficou no país da América Central, os retratos dos parentes que estão longe – segundo ele, uma forma simbólica de unir as duas partes; no terceiro, estão os cliques produzidos durante a viagem ao Haiti.

Algumas dessas fotos também estarão no Museu da Fotografia, em exposição que ocupa três salas do espaço até o dia 26 de março. Tanto o livro como a exposição serão lançados oficialmente nesta terça-feira, 21/02, em evento que terá comidas típicas e apresentação do cantor Berthony Pierre. Na ocasião, o livro será vendido a 80 reais e parte do valor será transferido para uma instituição que presta assistência aos imigrantes em Curitiba.

Confirme presença no evento no Facebook.

Serviço:
Exposição e lançamento do livro Rekòmanse – Outras faces, outras histórias
Local: Museu da Fotografia – Solar do Barão
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro
Data: 21 de fevereiro de 2017, terça-feira, 18h30

Foto: Brunno Covello

Foto: Brunno Covello

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s