Subida aos céus por meio da percussão [Coluna Def-RelevO #01]

A partir de março, o Defenestrando mantém uma coluna mensal sobre música ou o que mais der na telha no Jornal RelevO. Para quem não sabe, o RelevO é um jornal literário produzido em Araucária, na região metropolitana de Curitiba, e distribuído gratuitamente em várias cidades do país (confira aqui o entrevistão que fiz com Daniel Zanella, o editor do jornal). Abaixo, segue o texto da primeira coluna. Em abril, tem mais.

The Souljazz Orchestra: Foto: Alexandre Mattar / Divulgação

AS PAREDES ESTÃO TREMENDO. O TETO ESTÁ BALANÇANDO! O CHÃO ESTÁ RACHANDO! SÃO OS DEUSES QUE ESTÃO VINDO AÍ! OU É O DIABO? Você está condenado! Algum espírito tomou posse do seu corpo por completo e tudo o que você pode fazer é dançar com movimentos que você nunca imaginou que seu corpo seria capaz de realizar! Fosse na Idade Média ou numa igreja neopentecostal, você estaria condenado à FOGUEIRA e AO INFERNO, seria excomungado, mas, felizmente, você está na vida real e ouvindo o som da Souljazz Orchestra.

Mais especificamente, a música Ya Basta, do álbum Solidarity, lançado em 2012. A Souljazz Orchestra é uma banda de Ottawa, no Canadá. Mas não, também, porque ela é claramente uma banda do mundo (pense em Manu Chao ou Gogol Bordello: eles começaram em algum lugar, mas são do mundo todo).

Em Ya Basta, as guitarras estão explodindo, o baixo está te hipnotizando e a percussão está abrindo um caminho para os céus. Um dos vários vocalistas da banda grita: “Imperialismo?” Um coro responde: “Ya Basta!”. E, assim, nós seguimos:

“Colonialismo? Ya basta!
Fascismo? Ya basta!
Despotismo? Ya basta!
Corrupción? Ya basta!”

Você nem sabe. Você já é parte do coro e está dançando de um modo que nunca dançou. A Souljazz Orchestra entrou pelo seu rádio, tomou e você nem viu. Nesse ponto, a música já está no talo, a percussão explosiva já tomou conta de tudo, de cada espacinho do local em que você está, de cada molécula do ar que você respira, não há mais para onde ir ou para onde crescer.

EPA. NÃO. ESPERE AÍ. DÁ PRA CRESCER, SIM.

Por aquele caminho para o céu que fora aberto percussão, sobem agora os metais, que a cada dois segundos e 37 centésimos avançam de dez em dez degraus – cada degrau tem dez metros de altura – até chegarem ao firmamento. De lá, trazem A Resposta: é preciso resistir. E dançar. Dançar exatamente dessa maneira completamente impensável que os deuses do multiverso estão te fazendo dançar.

Essa é só uma das músicas de um dos discos da Souljazz Orchestra. São pelo menos seis álbuns lançados desde 2007, cada um com seu caminho particular para o céu, para o inferno ou para o Lugar Impensável.

E o Lugar Impensável é… COPACABANA! A música Cartão Postal é a faixa que vem logo antes de Ya Basta no álbum Solidarity e que traça um perfil descritivo do que é a praia mais emblemática do Rio de Janeiro. Tudo isso cantado em ótimo português brasileiro – claro, claro, porque qual é a banda canadense que não tem uma música em português sobre Copacabana?

O vocalista canta: “A praia, o sol, os gringos na areia…” O coro responde: “Cartão postal de Copacabana!” E, assim, nós seguimos:

“Os condomínios, os hotéis e a vista da favela? Cartão postal de Copacabana!
A bossa, o samba, a banda não se importa? Cartão postal de Copacabana!
A cerveja, a caipirinha, a ressaca no outro dia? Cartão postal de Copacabana!”

Enquanto a banda volta com tudo (a percussão! a percussão!) após mais essa sessão de perguntas e respostas, você já está sentindo a areia entre os dedos do pé e está se perguntando se aqueles respingos de limão vão ficar marcados na pele. Ah, já ia me esquecendo: você ainda está dançando de maneira ininteligível. A Percussão baixou em você. Você incorporou a Percussão.

Quem estiver por perto e atento, poderá aproveitar a situação para pedir conselhos à Percussão. Se questionada, a Percussão, entidade plena, dará dicas sobre o que fazer da vida. Tome chá de marcela-do-campo para cuidar do estômago. Um banho com água fervida em casca de laranja para arranjar uma namorada. Não tenha medo, menino, a Percussão está aqui para te ajudar. Apenas respeite a Percussão.

* * *

Não nos responsabilizamos por quem ouvir o disco Solidarity sozinho em casa.

Um Comentário

  1. Pingback: Guia extrassensorial para cinco músicas selecionadas [Def-Relevo #04] | Defenestrando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s